Segunda-feira, 24 de Fevereiro de 2020
Educação

Sufoco na matrícula: pais madrugam nas filas das escolas estaduais

SEC reconhece falha em sistema

Publicada em 21/01/20 às 12:54h - 66 visualizações

por Correio


Compartilhe
   

Link da Notícia:

 (Foto: A VOZ DA REGIÃO)

Para os alunos, as aulas na rede estadual de ensino começam apenas no dia 5 de fevereiro. Mas, a corrida pelas vagas de matriculas inciaram oficialmente, na segunda-feira (20), quando pais dos alunos se aglomeravam em filas nas portas das escolas. No entanto, tanto esforço foi em vão. Isso porque uma falha no sistema que realiza as matrículas causou lentidão e impossibilitou a realização das inscrições.  Por conta disso, vários pais madrugaram nas filas nesta terça-feira (21) na esperança de conseguir uma vaga para os filhos.

O CORREIO esteve no Colégio Estadual Rômulo Almeida, no bairro do Imbuí, para conversar com alguns deles e mostrar o sofrimento que se repete ano a ano.  O colégio estava de portões abertos e a distribuição de senhas ainda estava sendo feita. Os pais que iam chegando, entravam e aguardavam em cadeiras colocadas no pátio. 

De acordo com alguns pais, a fila do lado de fora se formou desde o início da tarde de segunda-feira. Muitos conseguiram entrar e aguardar a distribuição de senhas do lado de dentro da escola. Quem não conseguiu, aguardou o dia amanhecer para enfrentar a fila novamente. 

A auxiliar de classe Carline de Noronha, 31, é moradora da Boca do Rio e tem dois filhos. Ela foi matricular sua filha de 15 anos no ensino médio. Carline contou que chegou às 14h de segunda-feira e amanheceu o dia na fila. Com a senha número 4, ela foi uma das primeiras a conseguir a matricula nesta terça.

"Tenho 31 anos e minha mãe passou pela mesma situação que estou passando hoje com minha filha. Passou um filme pela minha cabeça, parecia que estava se repetindo, o medo de não conseguir a vaga. A rede estadual sempre foi assim, sempre foi essa agonia para conseguir vagas nas escolas. Eles colocaram a matricula pelo site, mas ninguém conseguia fazer nada. Eu nem dormi, estou acordada desde ontem. Vi muita gente dormindo, com cobertores, lençóis, mas eu não quis trazer toso esse equipamento. Não tinha ninguém para trocar de turno comigo. Minha filha ficou até meia noite e depois mandei ela ir pra casa, peguei a senha e segurei até chegar a minha vez", contou.

Mãe de dois meninos, um de 16 e outro 11 meses, a dona de casa Fernanda dos Santos, de 39 anos, chegou junto com a vizinha Jamile Oliveira, 31, por votla das 4h da manhã desta terça. As duas pegaram as senhas 55 e 56, respectivamente. Até às 9h da manhã, as vizinhas ainda aguardavam serem chamadas para realizarem as matriculas dos filhos. 

"Eu cheguei cedo e já tinha muita gente. Tive que vim com meu filho pequeno no colo, não podia deixar ele em casa, pois ainda estou amamentando. É uma sacanagem o que as escolas fazem com a gente pais de alunos. Eu poderia estar em casa cuidando de meu filho, fazendo outras coisas. As matriculas deveriam ser feitas durante o ano letivo, quem quisesse ficar para o próximo ano, vinha aqui e se matriculava. Mas não, eles preferem causar esse transtorno e abrir as vagas falando pouco mais de uma semana para o inicio das aulas", disse a dona de casa.

Já Jamile, está pela segunda vez tentando conseguir uma vaga para sua filha de 15 anos, no primeiro ano do ensino médio. Segundo ela, na segunda-feira, quando chegou, por volta das 17h, se deparou com um aviso na portaria de que o sistema de matriculas estava fora do ar. Rapidamente, ela voltou para casa e decidiu chegar mais cedo no dia seguinte.

"Eu vim ontem, mas o porteiro me mostrou um aviso sobre o sistema fora do ar. Voltei para casa e me preparei para chegar bem cedo hoje. Estou com a senha 56, eles estão chamando de oito em oito. Acredito que daqui para o meio-dia eu consigo. Sou sozinha, tenho que me virar", contou.


Sufoco na matrícula: pais madrugam nas filas das escolas estaduais

21.01.2020, 10:11:00
Atualizado: 21.01.2020, 10:31:14
(Foto: Eduardo Dias/CORREIO)

Para os alunos, as aulas na rede estadual de ensino começam apenas no dia 5 de fevereiro. Mas, a corrida pelas vagas de matriculas inciaram oficialmente, na segunda-feira (20), quando pais dos alunos se aglomeravam em filas nas portas das escolas. No entanto, tanto esforço foi em vão. Isso porque uma falha no sistema que realiza as matrículas causou lentidão e impossibilitou a realização das inscrições.  Por conta disso, vários pais madrugaram nas filas nesta terça-feira (21) na esperança de conseguir uma vaga para os filhos.

O CORREIO esteve no Colégio Estadual Rômulo Almeida, no bairro do Imbuí, para conversar com alguns deles e mostrar o sofrimento que se repete ano a ano.  O colégio estava de portões abertos e a distribuição de senhas ainda estava sendo feita. Os pais que iam chegando, entravam e aguardavam em cadeiras colocadas no pátio. 

De acordo com alguns pais, a fila do lado de fora se formou desde o início da tarde de segunda-feira. Muitos conseguiram entrar e aguardar a distribuição de senhas do lado de dentro da escola. Quem não conseguiu, aguardou o dia amanhecer para enfrentar a fila novamente. 

A auxiliar de classe Carline de Noronha, 31, é moradora da Boca do Rio e tem dois filhos. Ela foi matricular sua filha de 15 anos no ensino médio. Carline contou que chegou às 14h de segunda-feira e amanheceu o dia na fila. Com a senha número 4, ela foi uma das primeiras a conseguir a matricula nesta terça.

"Tenho 31 anos e minha mãe passou pela mesma situação que estou passando hoje com minha filha. Passou um filme pela minha cabeça, parecia que estava se repetindo, o medo de não conseguir a vaga. A rede estadual sempre foi assim, sempre foi essa agonia para conseguir vagas nas escolas. Eles colocaram a matricula pelo site, mas ninguém conseguia fazer nada. Eu nem dormi, estou acordada desde ontem. Vi muita gente dormindo, com cobertores, lençóis, mas eu não quis trazer toso esse equipamento. Não tinha ninguém para trocar de turno comigo. Minha filha ficou até meia noite e depois mandei ela ir pra casa, peguei a senha e segurei até chegar a minha vez", contou.

Mãe de dois meninos, um de 16 e outro 11 meses, a dona de casa Fernanda dos Santos, de 39 anos, chegou junto com a vizinha Jamile Oliveira, 31, por votla das 4h da manhã desta terça. As duas pegaram as senhas 55 e 56, respectivamente. Até às 9h da manhã, as vizinhas ainda aguardavam serem chamadas para realizarem as matriculas dos filhos. 

"Eu cheguei cedo e já tinha muita gente. Tive que vim com meu filho pequeno no colo, não podia deixar ele em casa, pois ainda estou amamentando. É uma sacanagem o que as escolas fazem com a gente pais de alunos. Eu poderia estar em casa cuidando de meu filho, fazendo outras coisas. As matriculas deveriam ser feitas durante o ano letivo, quem quisesse ficar para o próximo ano, vinha aqui e se matriculava. Mas não, eles preferem causar esse transtorno e abrir as vagas falando pouco mais de uma semana para o inicio das aulas", disse a dona de casa.

Já Jamile, está pela segunda vez tentando conseguir uma vaga para sua filha de 15 anos, no primeiro ano do ensino médio. Segundo ela, na segunda-feira, quando chegou, por volta das 17h, se deparou com um aviso na portaria de que o sistema de matriculas estava fora do ar. Rapidamente, ela voltou para casa e decidiu chegar mais cedo no dia seguinte.

"Eu vim ontem, mas o porteiro me mostrou um aviso sobre o sistema fora do ar. Voltei para casa e me preparei para chegar bem cedo hoje. Estou com a senha 56, eles estão chamando de oito em oito. Acredito que daqui para o meio-dia eu consigo. Sou sozinha, tenho que me virar", contou. 

Em nota, a Secretaria da Educação da Bahia informou que uma falha no sistema provocou a lentidão. Veja nota na íntegra: 

"A matrícula para o Ano Letivo 2020 da rede estadual de ensino, que iniciou nesta segunda-feira (20), apresentou problemas de lentidão e intermitência durante o dia. A equipe técnica do Estado trabalhou incessantemente para resolver a questão e restabelecer o adequado funcionamento do sistema que voltou à normalidade no fim da tarde. Ressaltamos o empenho dos gestores escolares e funcionários em atender e acolher a todos que procuraram as nossas escolas e confirmamos a continuação da matrícula nesta terça-feira (21). A Secretaria da Educação do Estado ressalta que todos os estudantes que procurarem a rede estadual terão garantida o seu acesso à escola mesmo após o fim do cronograma de matrícula". 

*com supervisão do chefe de reportagem Jorge Gauthier

















ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 75 99134-8375

Visitas: 84730
Usuários Online: 38
Copyright (c) 2020 - A VOZ DA REGIÃO - Todos os direitos reservados ao Portal A Voz da Região - Direção Quirino