Quinta-feira, 09 de Abril de 2020
Brasil

Viradouro homenageia Ganhadeiras de Itapuã no Carnaval do Rio de Janeiro

Publicada em 24/02/20 às 10:18h - 91 visualizações

por A VOZ DA REGIÃO


Compartilhe
   

Link da Notícia:

 (Foto: A VOZ DA REGIÃO)

A Viradouro foi os destaques do primeiro dia de desfile do Grupo Especial do carnaval do Rio de Janeiro, com uma homenagem as Ganhadeiras de Itapuã – tradicional grupo de mulheres negras de Salvador. O enredo “Viradouro de Alma Lavada” destacou a quinta geração de lavadoras de roupa na Lagoa do Abaeté. A escola foi a primeira a desfilar neste domingo (23).

 

Na comissão de frente, a atleta da seleção brasileira de nado sincronizado Anna Giulia, vestida de sereia, dava mergulhos de até um minuto em um aquário com 7 mil litros de água mineral. O samba-enredo foi inspirado no afoxé. As ganhadeiras foram homenageadas como as “primeiras feministas brasileiras”

 

O desfile mostrou as atividades que as Ganhadeiras exerciam: lavar roupa, carregar e vender água, cozinhar e vender alimentos, costurar, vender bugigangas. Com os recursos, muitas compravam alforrias. A cantora Margareth Menezes desfilou como destaque do carro que lembrou as cirandas de roda à beira do mar aberto, uma contribuição das Ganhadeiras à música baiana. O grupo de encerramento se chamava "Lute como uma mulher!", e levou mulheres negras ligadas à pauta feminista para a avenida.

 

A rainha de bateria, Raissa Machado, pelo sétimo ano na Viradouro, vestiu uma fantasia em homenagem à rainha dos Malês, Luiza Mahin, uma das lideranças da revolta pela libertação dos escravos em Salvador. A digital influencer Lore Improta foi musa da escola de samba, com uma fantasia avaliada em R$ 40 mil, representando a Rainha do Carnaval de Itapuã. O último carro teve problemas e apagou na enquanto passava pela avenida, mas depois voltou a funcionar.

 

A Mangueira também desfilou neste domingo com uma releitura crítica da vida de um Jesus Cristo nascido em uma comunidade. O desfile teve ainda uma estátua gigante mostrando um jovem Jesus negro crucificado e referências a indígenas, mulheres e membros da comunidade LGBT. O carro abre-alas mostrou o presidente de honra Nelson Sargento e a cantora Alcione representando José e Maria.

 

Já a Grande Rio contou a história do pai de santo Joãozinho da Gomeia para pedir tolerância religiosa, mas teve problemas com dois carros, que pode prejudica-la. Um dos destaques descola foi a volta de Paolla Oliveira como rainha de bateria, fantasiada de Cleópatra, após dez anos fora.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 75 99134-8375

Visitas: 102886
Usuários Online: 16
Copyright (c) 2020 - A VOZ DA REGIÃO - Todos os direitos reservados ao Portal A Voz da Região - Direção Quirino